Sábado, 30 de Junho de 2007

Há areia no elevador e a entrada do meu prédio cheira a protector solar Nívea.
Contudo, nos metros quadrados que me rodeiam, não houve, no dia de hoje, qualquer produção de melanina.


publicado por A.N às 21:32
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Sexta-feira, 29 de Junho de 2007
O humor nos dias que correm. Aqui.
E aqui em casa...
E na biblioteca também...
E no final de contas...


publicado por A.N às 22:52
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Segunda-feira, 25 de Junho de 2007
"Não acho normal. Achas normal ter que estudar a lei mexicana?"
"Não achas normal porquê? Segundo dizem, nós mexicanos temos uma das melhores Constituições do mundo."
"Sim, mas não vou estudar a vossa Constituição. Estou mesmo a falar da lei processual civil mexicana."
"Acho muito bem que a estudes.Tens que saber como funciona a tua profissão no meu país, como é que se resolvem os litígios..."
"Mas querido, todos sabemos que no México os problemas se resolvem com porrada!"
"Com porrada, não. Com dinheiro. Estamos muito mais civilizados!"


publicado por A.N às 23:21
link | comentar | ver comentários (4) | partilhar





Nunca consegui dissociar Sissi da Áustria dos filmes protagonizados pela actriz Romy Schneider.
De igual modo, nunca consegui abandonar a imagem que os meus livros de infância me transmitiam da menina feliz que passava os dias a cavalgar pelos campos da Baviera, na companhia do seu pai Maximiliano e dos seus irmãozinhos, igualmente virtuosos e loirinhos.

Porém, o mito em que vivia sofreu, ontem à noite, um pequeno abalo.

Minutos antes de sucumbir ao cansaço do dia, fui transportada do imaginário infantil, alimento de fantasias e equívocos históricos, para um relato mais adulto*, onde descubro que a princesa mais bonita da Europa (recorde-se, com a cara e figurinha de Romy Schneider) era caprichosa, emocionalmente atrofiada e bissexual.

Confesso que ainda permaneço em choque.

Rejeito os factos históricos.

Fico-me pela Romy Schneider.


* "Valsa Inacabada" de Cathérine Clement


publicado por A.N às 09:50
link | comentar | ver comentários (5) | partilhar

Sexta-feira, 22 de Junho de 2007



No Verão, todos ficamos mais bonitos...







publicado por A.N às 01:36
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Quarta-feira, 20 de Junho de 2007

Não podemos aspirar a um mundo perfeito, mas podemos, legitimamente, aspirar a um mundo melhor.

A menina do café da minha rua personifica a esperteza saloia que nos caracteriza há séculos e, de forma quase que inocente e irreflectida, nos condena ao retrocesso social.

Tem boa saúde, boa aparência, doseia o volume de trabalho com intervalos de nicotina, uma filha a quem veste do bom e do melhor e um marido que trabalha com afinco mas cujo ordenado é magro demais para comportar as despesas excessivas da família.

O café da minha rua pertence à mãe da menina acerca da qual escrevo, endividada até à medula óssea e que, em momentos de tensão, não abdica de uma manicure francesa e de extensões de cabelo louras, pois “se não nos sentimos bem connosco, a coisa não se endireita”.

Orgulhosamente, a menina do café informa-me que está a receber subsídio de desemprego, pese embora receba, simultaneamente, o ordenado que a mãe lhe paga.

“Enquanto der, vou aproveitar”, diz ela enquanto eu, educadamente, finco as unhas nas palmas das mãos para me conter perante o anúncio de que aquela senhora, com quem partilho o café matinal está, afinal de contas, a defraudar o sistema e a roubar o dinheiro dos impostos e das contribuições que entrego ao estado.

A segurança social, brilhante instituição no acto de recepção das contribuições, mas meio amnésica no acto de retribuição, fecha os olhos à menina do café, aos seus ordenados, ilegalmente, cumulativos que no final do mês lhe aconchegam a conta bancária.

Ironicamente, em Aveiro, a reforma por invalidez não foi concedida a uma professora, vítima de leucemia que, perante esta decisão da Segurança Social e o facto de ter que comer ao final do mês, se viu obrigada trabalhar até à morte.

Não teremos chegado, pois, a um ponto em que a inércia e o conformismo são inaceitáveis?

Vivemos num país onde a baixa fraudulenta ocupa uma percentagem significativa da população, ironicamente, activa; onde a menina do café se orgulha de enganar esse ente estranho – o Estado – e onde a insuficiência económica é alegada de forma falsa e de ânimo leve.

Bebo o café e vejo a menina alegre que me comunica ter adquirido um novo carro.

Sorrio e afasto-me perplexa.

Sei que os meus impostos estarão, provavelmente, a contribuir para o bem-estar do agregado familiar dela, situação que, analisando bem as coisas, me conforta um pouco. Afinal, sei em que é que as minhas contribuições se consubstanciam: num relógio Calvin Klein no pulso da menina do café.</span>



publicado por A.N às 09:27
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Terça-feira, 19 de Junho de 2007

Parabéns aos pais pela recém-chegada Inês.
Bem-vindos, finalmente, à guerra do percentil!



publicado por A.N às 23:19
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Domingo, 17 de Junho de 2007


Decorre em Lisboa a Trienal de Arquitectura, evento que atrai arquitectos e aspirantes a tal, bem como centenas de outros curiosos, leigos no mundo da projecção e do Autocad, mas a quem o tema “Vazios Urbanos” despertou interesse.

Ao ouvir dois advogados comentar que haviam passado a tarde de sábado no Museu da Electricidade, observando maquetes de um projecto do Siza Vieira e os esboços que as antecederam, não pude deixar de imaginar qual o impacto bizarro que um evento jurídico, a uma escala semelhante, poderia ter na sociedade portuguesa.

Por mais abertura intelectual de que disponha, jamais conseguirei conceber um arquitecto a dedicar os seus dias de ócio à contemplação de um ante-projecto de lei ou a venerar o carácter histórico das folhas amarelecidas de um exemplar do código de Seabra.



publicado por A.N às 20:34
link | comentar | partilhar

Sábado, 16 de Junho de 2007
"... fica-se com a ideia que são bem recebidos todos aqueles sacrifícios e sente-se que, no contexto de tanta ascese e renúncia, o próprio acto de viver constitui pecado.
Bem basta a culpa que já temos sem estar a puxar também pela culpa de não sofrer mais."


"As Igrejas são a igreja", por Miguel Esteves Cardoso (Revista Única, na edição de hoje do Expresso)


publicado por A.N às 16:49
link | comentar | partilhar

Sexta-feira, 15 de Junho de 2007
Enforcement of judgments in foreign courts... foreign courts...distant courts...distant courts in distant countries...distant countries we visit on vacation...Vacationssssss...


publicado por A.N às 18:02
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Carimbos no passaporte
2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


You've got mail
omundodachapa@gmail.com
Check-in

Subscrever feeds