Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010

 

 

 

O blogue da Radar anuncia na sua página inicial que durante o dia de amanhã será anunciada a grande banda que garantirá a presença na edição de 2010 do Optimus Alive.

Considerando que já se encontram garantidas as presenças de Kasabian e Phoenix, Gossip e Pearl Jam, é bom ver que em Portugal, afinal, ainda existem profissionais que pautam a sua actuação de acordo com os mais elevados níveis de exigência.



publicado por A.N às 23:28
link | comentar | partilhar

 

 

E ao que parece a I. "Pequenina" também. Aqui.



publicado por A.N às 23:27
link | comentar | ver comentários (3) | partilhar

Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2010

 

 

Constatações de uma noite com um comando sem pilhas:

 

A menina da novela portuguesa da SIC chora que se farta;

A menina da novela portuguesa da SIC sofre que se farta;

O menino da novela portuguesa da SIC, tal como a menina da novela portuguesa da SIC têm demasiada disponibilidade para amar.

 

 

De facto, qualquer semelhança com a vida real é mesmo pura coincidência.



publicado por A.N às 22:48
link | comentar | partilhar

Domingo, 14 de Fevereiro de 2010


 
"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não apenas por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio tecto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver." Amyr Klink
 



publicado por A.N às 21:51
link | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Sábado, 13 de Fevereiro de 2010

Na minha família, à semelhança do que aparentemente sucede na familia de José António Saraiva, todos nós fomos habituados não só a pensar pela nossa própria cabeça, como a desenvolver e discutir ideias e opiniões fortes , as quais, sem pudor ou filtro, insistimos em partilhar.

Ao contrário dos meus pais, tive o privilégio de crescer numa época , em que em Portugal a censura há já alguns anos não existia e as palavras dissidentes da corrente geral já não configuravam ilícitos criminais. Assim, não é de estranhar que é em minha casa se celebre, com emoção, as recordações do dia 25 de Abril de 1974 e que a perplexidade nos assombre quando confrontados com famílias e realidades para quem esse evento tem um sabor amargo e causa vergonha.

Não obstante o número de juristas que compõem o meu núcleo familiar, a análise jurídica dos factos referentes ao caso Face Oculta, relatados ultimamente pelo jornal Sol, assumiu um lugar periférico nas nossas reuniões familiares (o que não nos impediu de suspirar perante a falta de preparação e conhecimentos jurídicos de Judite de Sousa na sua entrevista a Noronha Nascimento!).

Em minha casa optámos por limitar-nos a celebrar a existência de vozes que não se calam; de um jornal que não só defende, como pratica a liberdade de expressão prevista na nossa lei fundamental e que, ao contrário do que sucede com as nossas instâncias governativas, abraça a política do exemplo, mostrando-nos que o silêncio, o medo e a indiferença não são virtudes, mas defeitos com os quais uma sociedade esclarecida e optimista não pode compactuar.

Hoje é Sábado e a nossa tradição familiar impõe que se brinde. O meu copo ergo-o ao Sol e respectiva Direcção que independemente das críticas de que é alvo, me faz acreditar que um dia seremos um país verdadeiramente democrático,

 



publicado por A.N às 18:32
link | comentar | ver comentários (8) | partilhar

Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2010

 

 

Há horas atrás, aqui jazia um post que pretendia ser divertido, mas que atendendo à conjuntura actual, por uma questão de cautela, foi removido preventivamente  pela autora deste blogue.

 

Deus dê descanso à sua alma.

 

 

 



publicado por A.N às 15:03
link | comentar | ver comentários (3) | partilhar

Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010

 

Ver o telejornal em Portugal, independentemente das nuances apresentadas pelos humildes canais de televisão de que dispomos, é um exercício vão e quase destituído de valor informativo, mas que constitui, simultaneamente, um exercicio de forte inspiração para perplexidades bloguísticas.

Que o diga eu que ao fim de cinco minutos de notícias da nossa actualidade política, consigo angariar mais de três temas sobre os quais gostaria de me debruçar e aprofundar.

No entanto, atendendo a que a notícia veiculada apenas me transmite uma opinião, algo demagógica, de um representante do governo e atendendo a que nestes casos, nos últimos tempos, poucos são os contrapontos apresentados e nenhuma é a investigação feita pelos repórteres no sentido de esclarecer o público a que se dirigem, confesso que a tarefa se torna árdua.

Por outro lado, a desresponsabilização dos media e a produção em massa sobreposta à política de informação, não ajuda à formação de uma massa crítica, o que me recorda estratégias amplamente abraçadas por ditadores e líderes de regimes totalitários.

Se a sede não é muita, a necessidade de água não é certamente valorizada.

Mas, à semelhança do que sucede com aquilo que se desconhece e que se torna indispensável no momento em que se vislumbra, não deveriam o esclarecimento e o rigor pautar a actuação daqueles que nos permitem ver mais além do nosso círculo de conforto?

E não deveria esta ser uma reivindicação nossa, na qualidade de cidadãos?

Independentemente das indagações e da minha curiosidade que ficou por saciar, aparentemente o Governo acaba de criar uma conta futuro para todos os recém-nascidos que em acréscimo à protecção jurídica de que são beneficiários antes de nascer, no momento em que vêem a luz, recebem uma conta no valor de 200,00€ que poderão movimentar aos dezoito anos.

Anunciou o João Tiago Silveira que a ideia por detrás da medida é criar hábitos de poupaça (o que eu consigo alcançar), mas constitui simultaneamente, nas palavras daquele anunciante, uma forte ajuda às famílias e uma garantia que todas as crianças têm acesso à escolaridade obrigatória.

 

A menos que não nos tenham facultado toda a informação e que os recém-nascidos de hoje pretendam frequentar a faculdade da terceira idade, confesso que não consigo atingir a bondade, o alcance e real significado desta notícia.

No entanto, talvez seja exactamente esse o propósito, não vá uma pessoa insinuar que há algo de demagógico em toda esta trama.



publicado por A.N às 20:23
link | comentar | partilhar

Carimbos no passaporte
2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


You've got mail
omundodachapa@gmail.com
Check-in

Subscrever feeds