Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

Um advogado enfrenta, diariamente, inúmero desafios, sendo que na maior parte dos casos, estes consistem em perguntas: perguntas variadas de uma panóplia infindável de temas; perguntas menos fáceis; perguntas incómodas; perguntas de estratégia, perguntas interesseiras, perguntas interessadas, perguntas descabidas e oportunas, mas sempre ou quase sempre, perguntas para as quais não existem respostas directas, fáceis, peremptórias.

Paradoxalmente,  um advogado, aos olhos dos leigos das matérias legais (que por sua vez e exactamente devido à sua ignorância jurídica e capacidade de julgamentos velozes, acreditam piamente pertencer uma classe moral e eticamente superior), é uma  pessoa que deve ser encarada com desconfiança, com algum distanciamento e desconforto, como aliás se encarados os profissionais daquelas áreas com quem se contacta não por prazer ou curiosidade, mas devido a necessidades dolorosas que não deixam margem para outra opção.

Assim, por uma questão de silogismo lógico, se um advogado enfrenta milhentas perguntas por dia; se ninguém acredita no que ele diz; se os restantes cidadãos nobres que se dedicam a ciências exactas, em acréscimo às funções honrosas que desempenham, pertencem a um nível superior de moralidade, inevitavelmente concluimos que só escolhe ser advogado quem sofre de severas perturbações mentais, gosta de ser colocado em causa e olhado com desconfiança.

 

 

 



publicado por A.N às 19:01
link | comentar | partilhar

2 comentários:
De carla espada a 18 de Janeiro de 2009 às 12:56
Concordo totalmente. Já fui advogada e sei bem como é quando os clientes querem uma resposta directa, de preferência que lhe seja favorável, mesmo que seja o pior dos criminosos e não tenha qualquer possibilidade de defesa


De Mr. Hellmanns a 19 de Janeiro de 2009 às 15:30
Fantástica discrição da profissão de advogado/a!
Foi por todas estas razões mais outras tantas que abandonei a actividade e me dediquei a "ser Jurista". As "urgências" ganham outra dimensão; as perguntas são mais selectas; os próprios clientes são mais respeitadores da nossa profissão!
Mas, infelizmente há algo que me deixa saudades: a adrenalina do Tribunal!
Mas não se pode ter tudo, certo?


Comentar post

Carimbos no passaporte
2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


You've got mail
omundodachapa@gmail.com
Check-in

Subscrever feeds