Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O mundo da Ch@p@

Little Miss Sunshine

A.N, 26.11.06

O que poderia ser uma história dramática, angustiante e pesada, surge-nos no grande ecrán como um relato cómico e descontraído de uma família rica em frustrações, taras, decepções e insucessos.
Uma das piores manias dos Estados Unidos- um concurso de beleza para pequenas misses - despoleta uma viagem , numa Volkswagen amarela com problemas de arranque, de Albuquerque até Redondo Beach.
Pequenas criaturas com caras infantis, transformadas cosmeticamente em pequenas Barbies de elevada carga sexual, exibem os seus dotes artísticos de forma elegante e ensaiada.
A competir com elas, a pequena Olive, treinada pelo avô, obcecado por sexo e drogas, temente de desiludir o pai, obcecado com o sucesso, apoiada pela mãe que, destroçada por uma eminente bancarrota, considera a hipótese de divórcio, aplaudida por um tio frustrado, quer no plano profissional quer no plano pessoal e por um irmão votado, voluntariamente, ao silêncio.
Descrita desta maneira, a trama ameaça parecer doentia.
Mas a mensagem do filme é totalmente oposta e do desabar dos sonhos daquela pequena família, renasce a união esquecida, a gargalhada fácil e o optimismo.
A ver, sem grande análise, sem pensamentos profundos, ao sabor do desenrolar de uma história carregada de realismo, a qual podemos encontrar, a qualquer momento, em qualquer família, em qualquer lugar.

3 comentários

Comentar post