Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O mundo da Ch@p@

Óscares 2007

A.N, 26.02.07



Longe vão os tempos da expectativa dos Óscares, do “glamour” das chegadas ao Kodak Theatre, dos palpites infrutíferos e da luta de titãs entre o sono e a curiosidade, a espertina de Domingo e as antecipadas olheiras de segunda-feira.

A Academia perdeu, igualmente, a aura de admiração que, candidamente, lhe atribuía e a vida dos seus personagens, esmiuçada e esquartejada pela imprensa do coração pouco ou nada têm de secreto.

A Academia, afinal, não passa de um lobby ( ou um grémio, como o nosso ditador lhe poderia ter chamado), um ninho de protectores e protegidos, onde as escolhas são politicamente pensadas, delineadas e consideradas à boa moda americana.

A noite de Domingo terminou antes da chegada dos mais pontuais e a manhã de segunda-feira, pese embora a ausência da aura de mistério, começou com a corrida frenética ao rádio para ouvir quais as decisões dos grandes de Hollywood.

A aplaudir? O laureado “Little Miss Sunshine” , provavelmente o melhor filme que vi em 2006.

A surpresa? Scorsese, finalmente, a cair em graça perante os Deuses do Olimpo californiano

O momento? Martin Scorsese: “ Thank you. Thank you. Could you double-check the envelope, please?”

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.