Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O mundo da Ch@p@

Da privacidade

A.N, 06.02.13

 

Para o cidadão comum, é uma escolha preservá-la . Para uma figura pública, é um custo de oportunidade.

Partilhar sentimentos, estados de alma, temores e dúvidas, na internet, já não é devassa: é partilha. Parte do próprio interessado e, em caso de danos ou prejuízos para o próprio, estamos inevitavelmente perante um caso de culpa do lesado.

O problema reside quando a partilha de uns envolve a devassa a privacidade de outros.

 

Na primeira aula de introdução ao direito, aprendemos que a minha liberdade termina onde a do próximo começa. Na internet e no facebook, este principio geral deveria aplicar-se, mas neste ambiente o rei vai nú.

Ontem, num fórum online com cerca de 4000 participantes, vi (ou li) a vida de uns conhecidos partilhada por um mãe emocionada e sofredora. Fê-lo de forma discreta, quase que sob a forma de um poema, mas ainda assim fê-lo.

 

A questão, dado o nível da partilha, a meu ver, não é jurídica, mas moral.

 

Não terá aquela mãe amigos com quem partilhar? Ou nos dias que correm  a dor pública é mais real?

No primeiro ano de vida do M.

A.N, 04.02.13

 

Deixámos de celebrar o Ano Novo, mas passámos a vibrar com o Carnaval.

Deixámos de ir à neve, mas começámos a ir ao parque.

Deixámos de sair à noite, mas começámos a estar despertos todas as madrugadas.

 

No final de contas, nada se perdeu: tudo se transformou.

Pág. 2/2