Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O mundo da Ch@p@

...

A.N, 04.04.12

 

Cada vez que vou a Madrid, é inevitável não comparar o crescimento e a movida daquela cidade com a parábola das Bodas de Caná. À semelhança da multiplicação do peixe, pão e vinho, em Madrid multiplicam-se espaços culturais, de diversão, bares, restaurantes e cafés em espaços ínfimos.

Bairros degradados convertem-se em espaços de desfile de moda, locais que atraem restaurantes trendy e gente cosmopolita que vive a vida como apenas os espanhóis.

Os lúgubres matadouros dão lugar a centros de criatividade e inovação, onde a cultura e a veia artística é promovida.

E , na mesma cidade, as tabernas do antigamente com beatas e lixo no chão, convivem harmoniosamente com a realidade da vertiginosa modernidade.

 

Ninguém vive como os espanhóis.

Afinal, hay que tenerlos, para saber levar para a cova o melhor que esta passagem tem para oferecer.

 

 

 

 

Mercado de San Antón

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.